Vargas

Esta história passou-se uma semana após ter chegado ao Chipre. Ainda não estava inscrito mas acompanhei a equipa num jogo fora, a cerca de 150 km de Pafos, a nossa cidade. Encontrámo-nos todos no dia do jogo de manhã, seguimos para Limassol, onde iriamos almoçar num hotel, e depois seguir para Larnaca, onde se disputaria o jogo. Comigo na altura jogava outro português, o Bernardo Vasconcelos.
A viagem decorreu dentro da normalidade, o almoço também, tudo tranquilo. Quando estamos a chegar ao estádio, o Bernardo, após umas boas quatro/cinco horas de caminho, almoço, etc., dá conta de que se tinha esquecido do saco com as botas, caneleiras, etc.. Inacreditável… Ele calça o 45 e ninguém na equipa calçava o mesmo que ele. O nosso guarda redes empresta-lhe um par de botas 44 e o jogo começa. Primeira parte, o Bernardo não consegue acertar um passe sequer. Chegamos ao intervalo e ele decide pedir outras botas, desta vez ao guarda-redes suplente, número 47! Segunda parte, tudo muda com as botas dois numeros acima: o Bernardo faz um golo, uma segunda parte de grande nível e ganhámos 2-0. Grande jogador e o gajo mais distraído do mundo!


Formado no Sporting, representou Académica, Alverca, U. Leiria e Estoril na I Liga nacional. Em 2006 emigrou para o Chipre, onde jogou sete épocas até terminar a carreira em 2013.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário