Rudi

Quando cheguei a Chaves não sabia falar Português nem Inglês, era difícil. Sempre que íamos jogar a algum lado, nas refeições ficávamos quatro jogadores numa mesa. Como Portugal é conhecido pelo vinho, punham sempre uma garrafa de vinho verde por mesa. Nunca tinha bebido vinho na vida, não gostava, e todos os jogadores me chamavam: “Rudi, vem sentar-te connosco.” E eu sentia-me bem, pensava que todos gostavam de mim. Passados três ou quatro meses, já tinha aprendido algumas coisas, fomos jogar a Faro, contra o Farense. Ganhámos o jogo e no regresso a Chaves parámos para jantar. Estávamos todos à vontade, felizes com a vitória. E puseram-se comigo: “toma, Rudi. Prova, prova.” E pronto, provei o vinho, gostei muito e também passei a beber. A partir daí nunca mais me chamaram para ficar na mesma mesa deles! Pensava que gostavam de mim, mas afinal era só porque comigo à mesa podiam dividir uma garrafa por três…


Em 1989 chegou ao Chaves, onde mostrou sempre muita entrega e instinto goleador. Foi o melhor marcador da II Honra pelo Campomaiorense, em 1994/95, com 20 golos.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

6 comentários sobre “Rudi

  1. Lembro-me bem deste jogador, pois a minha mãe é de uma aldeia perto do estádio, aldeia de Outeiro Seco, e reza a história que este jogador, vindo do bloco de leste, quando foi pela 1ª vez ao talho perguntava se podia levar isto ou aquilo, pois lá na sua terra a carne era racionada pelo estado.

  2. E verdade mais para dizer que jogadores gostava de mim. Eu e ojze sto em contacto com muitos meos amigos em Portugal .Abraco ai todos.

Deixe um comentário