Pedro Tiba

Quando estava no SC Braga, na véspera de um jogo contra o Belenenses, para a Taça de Portugal, já estava a dormir quando me foram chamar ao quarto, à uma da manhã, porque o treinador, que era o Sérgio Conceição, queria falar comigo. Na altura até estava no quarto com o André Pinto, que agora está no Sporting, e entraram lá com todo o cuidado para não o acordarem.
Chego ao quarto do mister, ia preocupado, a pensar que podia ter acontecido alguma coisa à minha família, não é normal ser acordado àquela hora na véspera de um jogo importante, mas afinal estava tudo tranquilo. O Sérgio queria só dar-me moral. Disse-me que era um jogo importante, que tínhamos de chegar às meias-finais, e que ia fazer um grande jogo, marcar um golo e queria que o fosse abraçar depois de o fazer. A verdade é que marquei mesmo e ganhámos 7-1 ao Belenenses!
E tenho uma história engraçada dos tempos do Atlético de Valdevez. Estava na II Divisão B na altura. O balneário do Valdevez tem uma sanita, uma casa-de-banho que só tem mesmo uma sanita, e tem uma janela com grades mas que está aberta, não tem vidro, e dá para o parque de estacionamento. Como se não bastasse, dá para fechar a porta por fora.
Normalmente, num plantel, há sempre um gajo que está sempre pronto para a palhaçada. Então e o que é que nós fizemos a esse tal jogador? Nós, o grupo mais patife, no qual estava incluído. Estávamos sempre na brincadeira com ele e um dia combinámos. Esperámos pelo dia certo, que era para o apanharmos a ir à casa-de-banho, já vestido, depois do treino. Tomou duche, vestiu-se com a roupa dele, já todo arranjadinho, com perfume e tal, e foi à casa-de-banho antes de se ir embora. Andávamos à espera daquilo há dias! Um fechou-lhe a porta à chave por fora, mas ele devia estar ao telefone ou assim porque nem se apercebeu que estava fechado. Ele estava a fazer as necessidades dele e nós, uma seita de uns sete ou oito, fomos pelo outro lado, pegámos numa mangueira e molhámo-lo todo. Ele queria fugir e não podia, mas também tinha de limpar-se. Aquilo foi a risada total! Mas não acaba aqui.
Depois mandámos um júnior, que andava a treinar connosco, abrir a porta, e dissemos-lhe que tinha sido um jogador que também tinha a mania de gozar com todos. Bem, ele ficou cego! Primeiro porque tinha a roupa toda molhada, depois porque sujou-se todo. Opá, top! Foi incrível!
– Tem calma. Ainda falta muito tempo até ao final da época, ainda o vamos lixar.
Ele não parava de dizer que ia apanhar um de nós, não era só ao outro. E houve alguém teve uma ideia brilhante para o lixar ainda mais. Tínhamos aquilo tudo planeado. Passado umas duas semanas, dissemos ao outro, de quem ele se queria vingar, para ir à casa-de-banho, só que antes vestiu a roupa do primeiro sem ele saber. E fomos ter com ele.
– Ele está na casa-de-banho e já fechámos a porta. Vai lá, é agora! Mas aproveita e faz ainda pior do que ele te fez a ti.
O outro lá dentro e o pessoal cá fora todo aos gritos, uns a filmar, uma confusão do caraças, e ele a mandar tudo pela janelazita. Bem, quando o outro sai da casa-de-banho e ele vê que tem a roupa dele vestida ficou com uma azia…. E imagina isto com 20 e tal gajos a rirem-se, todos na palhaçada. Foi das melhores partidas que vi no futebol.


Atualmente no Lech Poznan, da Polónia, o experiente médio teve passagens pela I Liga ao serviço de Vitória de Setúbal, SC Braga e Desportivo de Chaves. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário