Paulo Madeira

Vou recordar um grande jogador, que me ajudou nos meus primeiros passos na equipa principal do Benfica, o Ricardo Gomes, que hoje é o coordenador técnico do Bordéus. Quando somos miúdos temos o sonho de seguir alguns exemplos. Era júnior do Benfica e o Ricardo para mim era uma referência em termos de futebol profissional, era o capitão da selecção do Brasil, jogava no plantel sénior do Benfica, portanto, na altura, gostaria de ser como ele. Depois tive a felicidade de subir a sénior, eu e o Paulo Sousa, e isto para contar uma pequena história e um gesto fantástico que ele teve comigo.
Antigamente, quando subíamos de juniores a seniores, durante a primeira época tínhamos contratos por objectivos: ao fim de cinco jogos pela equipa principal o salário passava para X, depois de dez jogos passava para Y, por aí fora. Ia sempre subindo, tinha vários patamares e naquela altura não era fácil um miúdo com 18/19 anos chegar à equipa principal e jogar. Tinha eu esse contrato, como tinha o Paulo Sousa, como teve depois o Rui Costa.
Sei que tinha feito quatro jogos e faltava-me um para subir de patamar. Normalmente era convocado e ficava de fora, como 17.º jogador, ou ficava no banco. Fomos de estágio, íamos jogar com o Boavista no Bessa, ficámos num hotel no Porto, e eu e o Paulo Sousa, depois de jantar íamos até ao quarto onde o Ricardo estava mais o Valdo, costumavam ficar sempre os dois. Obviamente que olhavam para nós como miúdos e tentavam ajudar-nos, e nesse estágio, estávamos no quarto deles quando surgiu este tema na conversa. O Paulo Sousa vira-se para o Ricardo e diz-lhe:
– Ó Ricardo, só falta um jogo ao Paulo para subir de patamar em termos de salário.
– A sério? Então por que é que não me disseram isso há mais tempo? Deixa estar que vou tentar resolver isso.
No dia seguinte apareceu ali uma “má disposição” do Ricardo, eu joguei e acabei por passar esse patamar. Foi um gesto fantástico, fiquei obviamente muito satisfeito! Aliás, para mim, o Ricardo continua a ser um gentleman e um exemplo. Conto esta história para se perceber um bocado a personalidade dele e também para o homenagear. Já não estou há muito tempo com ele. Ele teve um problema grave de saúde, está bem, dentro do possível, e espero que tenha o maior sucesso no Bordéus. Era um excelente jogador, mas como pessoa ainda era mais fantástico.


Campeão do Mundo de sub-20 em 1989, passou nove épocas na equipa principal do Benfica. Na I Divisão representou ainda Marítimo, Belenenses e Estrela da Amadora. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Um comentário sobre “Paulo Madeira

Deixe um comentário