Paulo Machado

Na inauguração do Estádio do Dragão tínhamos um palco no meio do relvado e estava toda a gente à espera para ver de onde é que iam sair os jogadores. Nós estávamos todos debaixo do palco e tínhamos lá duas televisões para podermos seguir o espectáculo até que chamassem os nossos nomes.
Lembro-me de que a televisão não estava a funcionar e o Jorge Costa e o Deco disseram-me para meter o dedo na antena para ver se funcionava. Eu meti e aquilo começou a funcionar. E o Jorge Costa:
– Tens muito poder. Vais ficar aí com o dedo na antena que é para a gente ver.
E eu:
– Não. Não vou ficar aqui com o dedo as duas horas e tal do espectáculo para vocês poderem ver televisão.
Tirava o dedo e deixava de dar. Metia e dava. Não sei se era energia positiva ou não, mas estava a funcionar. E tive de ficar lá com o dedo para o pessoal assistir ao espectáculo. Esta história é incrível mesmo. Com o Jorge Costa era logo….
Em relação ao jogo, lembro-me que entrei quase ao mesmo tempo que o Messi. Hoje é um jogador que toda a gente conhece, mas naquela altura ninguém conhecia. Foi a estreia do Messi. E logo ali fintou logo quatro ou cinco. Só que o relvado não estava muito bom e ele atrapalhou-se. Mas nessa altura já conseguiu fintar cinco. Incrível!
Hoje pego nos meus filhos, levo-os ao estádio e está lá o meu nome gravado. Agora se calhar não ligam tanto porque são pequeninos, só dizem que está ali o nome do pai, mas daqui a uns anos, quando forem ao estádio sozinhos e virem lá o nome do pai, claro que vão sentir-se orgulhosos.


Formado no FC Porto, foi emprestado a Estrela da Amadora, União de Leiria e Leixões antes de iniciar uma carreira de sucesso no estrangeiro. Hoje é treinado por Jorge Costa, no Mumbai City, da Índia. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário