Papillon

O futebol é uma grande paixão minha, era o sonho de menino que tinha antes de começar a andar pelos caminhos da música. Comecei a jogar no 1º Dezembro e depois também fiz formação no Sintrense e no Atlético do Cacém.
As últimas três vezes que parti os meus óculos estão relacionadas com futebol: uma delas foi numa peladinha e as outras a festejar golos. A primeira destas duas foi na final da Taça entre o Porto e o Braga, que o Porto acabou por perder, no golo de pontapé de bicicleta do André Silva. Ao festejar levantei os braços, dei um toque nos meus próprios óculos, que foram parar sei lá onde e quando dei por ela tinha-os partido.
A segunda vez que parti os óculos foi a festejar o título europeu de Portugal, depois do golo do Eder saltou-me uma lente. Sou muito efusivo a festejar, estávamos todos a comemorar numa carrinha de caixa aberta e dou outro toque nos óculos, que vão parar ao chão. Nem sequer me importei, só depois da festa terminar é que fui procurar a lente que tinha perdido.


Membro dos GROGNation, fez-se notar na Liga Knock Out e lançou em Março “Deepak Looper”, álbum de estreia a solo, que depois do NOS Alive será também apresentado no MEO Sudoeste. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário