Manuel Damásio

Em 1994, um dos piores anos da história do Benfica em termos financeiros, o Sporting levou dois jogadores por terem ordenados em atraso e um deles foi o Paulo Sousa. Já próximo do final dessa época, o Benfica ia com um ponto de avanço sobre o Sporting e foi a Alvalade. Ia ser um jogo importantíssimo e o campeonato ia ficar dependente desse resultado.
Chovia, numa noite em que o estádio estava completamente cheio, e eu tinha um processo no qual pedia uma indemnização ao Sporting pelo Paulo Sousa, para reaver ao Benfica o que era justo por nos terem roubado esse jogador. Entrei no camarote com a Direcção e o estádio inteiro dizia: “Damásio, depois um palavrão, não te pagamos um tostão.” Passaram minutos e minutos nisto e as pessoas riam-se enquanto cantavam isto.
O Benfica jogou bem, fez o resultado dos 6-3 que todos conhecemos, e quando acabou o jogo os jornalistas aproximaram-se de mim e obviamente que pensava que me iam dizer que o Benfica tinha dado um passo de gigante para o título, que tinha jogado bem, mas não. Não houve foi um único jornalista que não me perguntasse “então ó presidente, o que é que você diz daquela canção no início do jogo?” E eu respondi: “Bem, eu acho que eles assumiram a dívida.”
Foi uma frase que ficou célebre, as pessoas acharam graça e o Sporting teve mesmo de pagar 700 mil contos ao Benfica, já depois na FIFA, e foi da mais elementar justiça.


Foi presidente do Benfica de Janeiro de 1994 a Outubro de 1997, entre os mandatos de Jorge de Brito e Vale e Azevedo, quando o clube atravessava uma grave crise financeira.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário