Luís Pinto

Num Louletano-Chaves, para a Taça de Portugal, fomos ao Algarve a meio da semana e o mister Vítor Oliveira fez algumas alterações na equipa. Eu e mais alguns dos habituais titulares ficámos de fora para recuperar, porque tínhamos jogado no domingo.
Já na segunda parte, contra a corrente do jogo, fizemos o 2-0 e eu, o Luís Silva e o Braga estávamos a aquecer. Entretanto, a faltar 20 minutos, continuávamos a aquecer. E eu disse ao Luís Silva:
– Luís, se eu entrar vou marcar dois golos!
Ele começou-se a rir e exclamou:
– ‘Tá bem, ó bruxo de Fafe!
E eu disse-lhe outra vez:
– Luís, se o homem me puser vou fazer dois golos!!!
– OK, meu mano, acredito em ti. Vai com Deus.
Entretanto, o Vítor Oliveira chama-me, a faltar 15 minutos, talvez.
Na primeira vez que toco na bola faço um golo. E já pertinho do fim fiz o segundo. E que golo!
Já com o Luís Silva em campo, ele veio festejar comigo e disse-me:
– Ó mano, brincadeira! Acerta lá o número do Euromilhões para nós!
Foi engraçado. Acabámos por ganhar 5-0.
Tenho outra história do género com o Vítor Oliveira. Jogo para os quartos-de-final da Taça a uma quinta-feira: Arouca-Belenenses. Ele chama-me e diz-me que não ia jogar porque no domingo tínhamos um jogo importante nas Aves. E eu fiquei fodido porque o jogo ia dar na televisão e era num bom tapete, em Santa Maria da Feira, porque era à noite e o nosso campo não estava preparado. Além disso, era para os quartos-de-final da Taça!
Eu e mais dois ou três nem convocados fomos. Fiquei fodido mesmo! E nessa conversa ele disse-me:
– Luís, vais estar fresquinho no domingo e é um jogo em que tens de fazer a diferença. E vais fazer!
Eu abanei com a cabeça, mas fodido.
E ele:
– Escusas de ficar com cara de amuado porque eu é que sei!
Estávamos a ganhar 1-0 ao intervalo, mas perdemos esse jogo com o Belenenses, 4-1 em “casa”.
Acabou o jogo e era uma azia daquelas… Depois, obviamente, todos comentaram:
– Luís, não jogaste porquê?
– Perguntem ao mister!
Bom, vamos para o jogo do Aves. Jogo dificílimo! Marquei dois golos e fiz um jogo do outro Mundo, com um golo à Messi, como veio nos jornais!
Depois, na terça-feira, o Vítor Oliveira:
– Então, ó amuado?


O goleador do Vilafranquense conta com vasta experiência na II Liga, escalão no qual alinhou sete épocas consecutivas ao serviço de Moreirense, Arouca, Chaves e SC Covilhã. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário