Luís Aguilar

Há uns anos fui entrevistar o Fernando Mendes, estava ele a treinar o Desportivo do Montijo, ainda não era Olímpico do Montijo. Fui ter com ele para fazer uma entrevista pequena para sair no Record sobre essa fase, o desafio de ser treinador principal, e sentámo-nos numa mesa de uma esplanada no campo do Montijo, íamos começar a entrevista. Ali perto estavam três ou quatro miúdos a dar toques na bola, vestidos com calças de ganga, à espera que começasse o treino para se irem equipar. Nisto, o Fernando disse-me para esperar um bocadinho. “Vocês, quem é que são?”. E eles “somos juniores, viemos aí treinar”. “Estou aqui a ver-vos a dar toques, vocês não servem para isto, nem vale a pena equiparem-se. Vão lá treinar ao Samouco ou a Alcochete, mas aqui não ficam.” E dispensou-os assim. A história daqueles miúdos no Montijo acabou antes de começar. E isto acaba por ser um pouco do resumo da carreira dele como treinador do Montijo, porque ia para lá treinar, depois saía, depois voltava…

Há outro momento mais tarde, em que ele regressa como treinador e disse que se chegassem a poucas jornadas do fim e estivessem em posição de descida voltava a jogar para dar um estímulo à equipa. E assim foi, voltou como treinador-jogador. O regresso foi num jogo em casa em que também fui lá para fazer um trabalho sobre o regresso do Fernando Mendes depois de ter acabado a carreira ao serviço do Vitória de Setúbal. Neste jogo, na primeira parte ele mostra toda a sua classe, de outros campeonatos, a jogar a central, bem posicionado, de cabeça levantada, grandes passes, tudo correu muito bem. Na segunda parte, o treinador dos outros mete um tipo mais rápido na frente. O Fernando dá-lhe uma pantufada e leva amarelo, passado uns minutos voltou a dar-lhe e é expulso por acumulação. O árbitro era um miúdo perto dele, então aquilo acabou com o Fernando a ir ter com ele e a perguntar-lhe “estás a expulsar-me? Mas tu sabes quem é que eu sou? Ainda andavas de fraldas já eu era internacional” e não sei quê.

Então no fim do jogo fui ter com ele para o entrevistar, para fazer o resto da peça, e assim que o vi comecei logo a rir-me. Ele ainda passado com a expulsão, perguntou-me “mas o que é que tu queres? Vais dizer mal de mim?”, mas lá acabou por ser uma conversa pacífica. Um bad boy à antiga, já não há rebeldes destes.


Escritor e jornalista, publicou as biografias de Fernando Mendes e Paulo Futre, além de vários outros livros dedicados ao futebol, como Mourinho Rockstar ou o mais recente FIFA Nostra. É comentador na TVI24.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário