Litos

Esta história passou-se quando o Sporting jogou contra o Barcelona na Taça UEFA de 1986/87. Tínhamos perdido 1-0 fora, contra uma equipa muito forte, quase toda ela da selecção espanhola, e tínhamos boas perspectivas de seguir em frente porque também tínhamos uma boa equipa.
O Mário Jorge, o meu cunhado, estava a negociar a compra de um Peugeot 205 GTI e o prémio para eliminarmos o Barcelona subiu para 800 contos, quatro mil euros. Então ele negociou a compra do carro, que não sei qual era o valor, em duas prestações. Estávamos a ganhar 2-0, com a passagem ali tão perto, o Mário Jorge já a pensar que ia pagar o carro em duas vezes quando surgiu aquela garganeirice do Fernando Mendes que, por ser fuçanga, não permitiu que pudéssemos marcar o terceiro golo. Foi uma jogada em que se isolou com o Manuel Fernandes e, em vez de lhe passar a bola, foi egoísta e quis fazer um chapéu, com a bola a passar por cima da barra. Depois aconteceu aquele golo do Roberto, a cinco minutos do fim, que deitou tudo por água abaixo.
O coitado do Mário Jorge, ainda hoje, sempre que encontramos o Fernando Mendes, quando estamos juntos em almoços, dá na cabeça do Fernando por ter andado a pagar o Peugeot em 13 prestações porque não conseguiu o prémio desse jogo! Acho que é uma história gira e quando estamos juntos, e está o Manuel Fernandes sempre presente, ele e o Mário Jorge dão cabo da cabeça ao Fernando. E eu também, não é? Foram 800 contos que voaram! O garganeiro do Fernando Mendes deu cabo da gente. E não era só o prémio, era o que simbolizava termos eliminado o Barcelona. Era ainda mais importante a parte desportiva do que a financeira mas acabou por penalizar toda a gente, principalmente o Mário Jorge.


Jogou oito anos no Sporting, antes de representar Boavista, Braga, Estoril, Lusitanos (França), Beira-Mar e Atlético. Como treinador, destaque para os títulos conquistados em Moçambique.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

3 comentários sobre “Litos

  1. Ainda hoje penso que poderia ter sido um dos melhores jogadores do Mundo,jogar como ele jogava havia poucos, não era por acaso que lhe chamavam o Platini Português

  2. Foi a segunda vez que vi um jogo em alvalade e ainda hoje recordo esse lance com uma certa amargura……se não me engano o Fernando Mendes fazia anos nesse dia……

Deixe um comentário