João Reis

Apesar de ter nascido em Lisboa, tornei-me adepto do Vitória de Guimarães muito cedo, por influência do meu pai, do meu avô e do meu tio. Ser do Vitória era assim um orgulho enorme e, mais do que isso, contrariava a regra, porque a maior dos meus amigos e primos dividiam-se entre Benfica, Sporting e Porto. Às vezes era preciso sacar do cartão de sócio para lhes provar a fidelidade e a escolha.
Dito isto, em 1983, e num jogo contra o Aston Villa para a Taça UEFA, com o Manuel José a treinador, houve a dado momento do jogo, e perto da bancada lateral onde me encontrava, uma picardia tremenda entre os adeptos do Vitória e os ingleses. Com os ingleses em provocação permanente, a coisa descambou e ficou de tal forma feia e agressiva que alguns dos ingleses tentaram fugir para dentro do relvado ferindo-se nas redes de protecção que, à altura, tinham arame farpado no topo.
Tanto quanto me lembro, o árbitro chegou a interromper o jogo até as coisas se acalmarem e ser prestada assistência aos adeptos feridos. No meio deste turbilhão, o meu avô, que era pessoa de poucas falas e até muito calmo a ver os jogos, ao contrário do meu pai, saca do seu maço de cigarros Negritas e, vendo-me assim com ar meio atordoado por força do que acabara de presenciar, diz-me: “Pega, toma lá um cigarro para acalmar!”.
Eu pouco fumava na altura e muito menos à frente do meu pai mas, antes ainda de ele poder dizer alguma coisa que censurasse o gesto, o meu avô volta à carga com esta: “Como é que se diz ide-vos foder em Inglês?”. O meu pai ficou desarmado e calou o que ia dizer esboçando um sorriso, eu tive o meu momento de descompressão e o meu avô a sua catarse com um “fuck you” minhoto, gritado para dentro do campo contra os ingleses. “Assim não venho mais ao futebol”, dizia ele, mas “aqui no Afonso Henriques mandamos nós!”. Foi o último jogo que eu vi com ele em Guimarães mas ganhámos um a zero.


Prestigiado actor com vasta experiência de teatro e televisão, participou recentemente na peça Macbeth e actualmente podemos vê-lo na novela Paixão, na SIC. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

3 comentários sobre “João Reis

  1. Também lá estive, no velhinho “peão”, onde tudo aconteceu. Lembro-me como se fosse hoje. Um adepto inglês, de cor negra, podre de bêbado, desafiou e provocou os adeptos vitorianos,mas teve azar e a coisa podia ter corrido bem pior, não fora ter trepado pela rede a cima e saltado para o recinto do jogo….

Deixe um comentário