Gonçalo Silva

Isto aconteceu no meu primeiro ano no Belenenses, há três épocas, num jogo em Coimbra, contra a Académica. Tivemos a palestra no hotel e saímos para o autocarro, para fazermos a viagem para o estádio. Normalmente é uma viagem em que há muita concentração, ouves pouco ou nenhum barulho. Mas numa certa estrada, não conheço a zona, mas foi numa recta, aparece o autocarro da Académica, que nos ultrapassa. Opá, o que é que ele foram fazer?
De toda a gente que apanhei no futebol, o mister Sá Pinto é das pessoas mais competitivas que se pode conhecer e não foi muito boa ideia o autocarro da Académica nos ultrapassar. Uma viagem que normalmente é muito tranquila, em silêncio e concentração transformou-se numa corrida que parecia quase o Velocidade Furiosa dos autocarros!
O mister virou-se para o nosso motorista e disse: “Ó Pedro, isto não pode acontecer! A gente tem de ultrapassar estes gajos, eles não podem chegar ao estádio primeiro que nós!”.
Aquele espírito competitivo alastrou-se para a equipa, a malta toda sentiu que o mister queria ultrapassar o autocarro da Académica e estávamos todos a fazer força para o motorista acelerar. Acabámos por ultrapassá-los e quando isso aconteceu foi uma festa no autocarro que parecia que tínhamos ganho o jogo! Foi um momento muito engraçado.
Depois acabámos por perder o jogo e não se concretizou o desejo do mister, que se calhar para ele até foi uma superstição eles estarem a ultrapassar-nos e depois não nos correr bem o jogo. Acabámos por perder, um jogo incaracterístico, mas tivemos essa situação que achei engraçada também por o mister Sá Pinto ser competitivo em tudo aquilo que faz e esta história retrata bem esse espírito que ele tem.


Formado no Barreirense, o capitão do Belenenses cumpre a quarta época no clube depois de ter representado Lousada, Atlético e SC Braga enquanto sénior. Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário