Fernando Ferreira

Em 2006 jogava no Espinho, era o meu segundo ano de sénior. Contratualmente ainda estava ligado ao Sporting e fui emprestado. A época nem foi muito produtiva, joguei pouco, mas tive um episódio engraçado. Houve uma altura em que estávamos bem, a equipa tinha bons resultados, e o treinador era o Vítor Pereira, que agora está no Fenerbahçe.

Um dia chamou-nos ao Maracanãzinho, que era o campo lá atrás do estádio, encosta-nos à parede e pede-nos para nos sentarmos porque precisava de falar connosco. Isto depois de termos ganho. E nós naquela: “fogo, o que é que se passa?” Então o FC Porto tinha ficado sem treinador, o Co Adriaanse tinha sido despedido e o Vítor diz-nos: “Nem sei como é que vos hei-de dizer isto, mas fui convidado para treinador do FC Porto.” E nós ficámos mesmo surpreendidos. “Não, é mentira!” E ele insiste, começa ali a enrolar, a dizer que era um sonho que tinha, que não podia recusar e tal. E acabámos por acreditar, ele estava mesmo convicto. Até que, depois de estarmos convencidos, lá disse que era mentira, que estava a brincar.

Passado dois anos, qual é o nosso espanto quando o vemos como treinador adjunto do Porto, um ano depois treinador principal, bicampeão e tudo mais! São coisas do futebol. Ele já na altura trabalhava muito bem, é um excelente treinador e tinha bons métodos de trabalho, como é óbvio. Já se via que era um treinador com futuro. Mas foi engraçado depois confirmarmos o que, em tempos, tinha sido uma brincadeira.


Depois da aventura em Espinho, jogou no Real, Ac. Viseu e Tondela, fez parte da equipa que subiu o Belenenses à I Liga e defendeu as cores do Marítimo antes de regressar ao Tondela.

Foto: Joaquim Galante

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

4 comentários sobre “Fernando Ferreira

  1. Fernando
    Tu já mostrastes em momentos mais difíceis que és capaz de superar os vários obstáculos com que te tens deparado no teu percurso profissional.
    Os que te conhecem mais de perto não têm dúvidas sobre o teu valor.
    Com a tua força de vontade e sem deixares de afirmar o teu caráter, conseguistes atingir o patamar mais alto do futebol nacional.
    Estou convicto que o sol voltará a brilhar no futuro próximo.

    Um forte abraço.

Responder a Nuno Cancelar resposta