DJ Poppy

Sou de Lisboa mas sou portista desde miúda, desde aquele calcanhar do Madjer, em 1987. Aqui em casa é tudo do Sporting e da Académica, sou a única portista, vem desde esse tempo, e fiquei muito contente por me convidarem para pôr música na apresentação do plantel do FC Porto desta época, no dia 9 de Agosto. Vieram buscar uma portista a Lisboa, o que é uma coisa engraçada, e era um sonho. Já lá fui ver vários jogos, mas tinha o sonho de tocar no relvado do Estádio do Dragão. Tocar em casa do clube do coração é uma coisa muito especial. Estava muito nervosa, muito ansiosa. Cheguei ao dia e estava um bocado arrependida por imaginar 50 mil pessoas a verem-me lá em baixo na relva. O máximo que tinha tocado foi para 8/10 mil pessoas. Foi a primeira vez que puseram um DJ lá em baixo. Toquei com os Expensive Soul e foi uma experiência fantástica!

Tinha uma camisola com o meu nome e o número 15 nas costas, por ser relativo a esse ano. E quanto entrei no relvado benzi-me, só faltava darem-me umas chuteiras para jogar! Abriram as portas às 18h00, eu já estava a pôr música. Fiz a apresentação dos jogadores, música para o Lopetegui e foi tudo pensado ao mínimo pormenor. Preparei-me durante vários dias para que corresse tudo bem. Por exemplo, não podia ter música com vozes durante uma apresentação na qual falasse um locutor. Precisei de ter todos esses cuidados.

Tocar num estádio para 50 mil pessoas é uma coisa muito mais complicada do que para 500 pessoas, tinha de ser música um pouco mais comercial mas também não muito popular, então fiz ali uma salada, uma coisa muito gira, entre músicas mais recentes e outras mais antigas. A meio tive de passar para uma cabine lá em cima, para que o som ficasse melhor no estádio, e foi a melhor coisa que podia ter acontecido. Correu muito bem, fiquei super contente. E senti-me em casa, bem recebida por toda a gente, gostaram imenso do meu trabalho. É uma história que fica. O que levamos connosco são os bons momentos e este vou guardá-lo para sempre.


É uma das mais carismáticas DJs portuguesas. Já actuou em muitas das principais discotecas nacionais, é produtora e, além de inúmeros galardões, também foi capa de revistas masculinas.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Deixe um comentário